Agrupamento de Escolas de Aguada de Cima troca 1670 kg de papel por alimentos

Agrupamento de Escolas de Aguada de Cima troca 1670 kg de papel por alimentos

A Campanha “Papel por Alimentos”, promovida pela Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares tem contornos ambientais e de solidariedade: por cada tonelada de papel recolhido é doado o equivalente a 100 euros em produtos alimentares básicos.

 ImagemNo âmbito do projeto Eco-escolas, o Agrupamento de Escolas de Aguada de Cima promoveu, durante o ano letivo 2011/2012, a campanha “Papel por Alimentos”, em parceria com a Delegação de Águeda da Cruz Vermelha Portuguesa, o Banco Alimentar de Aveiro e a Câmara Municipal de Águeda. Durante todo o ano letivo, a comunidade escolar do Agrupamento de Aguada de Cima trabalhou para aumentar a valorização dos resíduos produzidos nas escolas, fomentando práticas mais sustentáveis. O balanço foi extremamente positivo tendo o Agrupamento entregue 1670 kg de papel no Banco Alimentar de Aveiro.

 Adicionalmente, o Agrupamento de Escolas de Aguada de Cima devido a estas e outras ações desenvolvidas no âmbito do projeto Eco-escolas receberá a Bandeira Verde no próximo dia 10 de outubro, em Gondomar, juntamente com mais 9 escolas do concelho de Águeda. Este trata-se do mais alto galardão atribuído pela ABAE (Associação Bandeira Azul da Europa) e que reconhece o trabalho desenvolvido em prol da sustentabilidade local (e global).

 

Anúncios

4.ª Feira ObservaNatura

 

O estuário do Sado recebe a 4.ª Feira ObservaNatura

A ObservaNatura está de volta ao estuário do Sado, no fim de semana de 13 e 14 de outubro. O cenário repete-se nesta 4.ª edição da feira, que ocupará durante dois dias o Moinho de Maré da Mourisca e a herdade envolvente. 

A ObservaNatura realiza-se anualmente desde 2009. É atualmente a única feira em Portugal dedicada ao Turismo Ornitológico, uma modalidade do turismo de natureza focada na atividade de observação de aves, direta ou com recurso a binóculos ou telescópios de campo. Inclui também a fotografia, a pintura e a ilustração da Natureza.

O crescente interesse pelos recursos turísticos naturais, e em particular pelas aves, poderá traduzir-se numa importante vantagem para a conservação da natureza e da biodiversidade, na medida em que a vivência do lugar e a observação das aves in loco sensibiliza o visitante para o valor dos recursos relacionados directa ou indirectamente com as espécies observadas e com os seus habitats. Por outro lado, esta modalidade de turismo, potencialmente sustentável nas áreas protegidas, traz um contributo significativo para as comunidades locais que, deste modo, se envolvem de forma responsável com os valores naturais em presença, ao mesmo tempo que proporcionam uma experiência de alta qualidade aos visitantes.

O vasto programa da feira “ObservaNatura” propõe workshops, mini-cursos, passeios pela Reserva Natural do Estuário do Sado, por terra e no rio para observação de aves, ateliês e sessões de anilhagem. É a oportunidade para o encontro entre as empresas de turismo de natureza, as organizações não governamentais, as editoras e empresas de material óptico e os turistas ornitológicos, em torno dos valores da biodiversidade. Garças, colhereiros e flamingos são algumas das espécies que podem ser observadas nesta altura do ano.

Com entrada livre, esta Feira organizada pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF)/ Reserva Natural do Estuário do Sado e pela Tróia-Natura, conta com vários parceiros, entre eles o Turismo de Portugal, a Câmara Municipal de Setúbal, a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, a Associação Baia de Setúbal e a Birds & Nature.

Ainda durante a Feira da Observanatura 2012 será promovida em parceria entre o ICNF, o Turismo de Portugal e a Associação de Turismo de Lisboa, uma fam trip para operadores holandeses, espanhóis, ingleses e belgas.

Os operadores internacionais estarão presentes na feira na manhã do dia 13 para uma ação de speedtrading, bolsa de contactos e de negociação com os agentes de animação portugueses inscritos.

Veja o programa em http://www.observanatura.com

 

Programa da SEM 2012 em Águeda

Neste ano de 2012, as atividades da Semana Europeia da Mobilidade em Águeda são:

 

18 de setembro | Participação da Autarquia de Águeda na 3.ª Conferência de Mobilidade Urbana em Lisboa – das novas tecnologias à eficiência dos sistemas: beAgueda – bicicleta elétrica de Águeda;

 

 

 

 

21 de setembro | X Cerciag em Movimento – dinamização de atividades desportivas adaptadas e de aventura, ateliers culturais e ações de sensibilização no âmbito da Deficiência, Estilos de Vida e Ambiente;

    7.ª edição do desfile de transporte alternativos.

                         10h00 às 17h00 – Estádio Municipal de Águeda

 

22 de setembro | Percurso PR5 – Trilho da Ponte de Ferro, dinamização de um percurso interpretativo, e guiado, a partir da estação da CP em Águeda. A atividade inicia-se com a viagem de comboio desde Águeda até ao apeadeiro de Travassô – os participantes serão ressarcidos o valor do bilhete de comboio – Vouguinha. *

Partida:

09h11 – Saída de comboio da estação da CP de Águeda

09h23 – Chegada ao apeadeiro de Travassô

09h45 – Início do PR5 (encontro no Parque N. Sr.ª do Amparo)

12h45 – Fim do percurso (sugestão: almoço livre – dedique a tarde a atividades ao ar livre)

Sugestão de regresso:

13h35 – Saída do apeadeiro de Travassô

13h46 – Chegada à estação da CP em Águeda

 

22 de setembro | Visita ao Núcleo Museológico de Macinhata do Vouga – descobre um fascinante património ferroviário! (atividade guiada e gratuita mediante a apresentação de bilhete de comboio – Vouguinha, do próprio dia) *

Entrada entre as 10h00 e 13h00

* Atividades gratuitas, mas sujeitas a inscrição prévia, para agenda21agueda@gmail.com, até dia 21 de setembro às 17h30, limitada a 50 participantes.                  

Semana Europeia da Mobilidade 2012

A SEM é uma campanha anual sobre a mobilidade urbana sustentável, organizada com o apoio político e financeiro da Direção-Geral do Ambiente e dos Transportes da Comissão Europeia. O objetivo da campanha, que se desenvolve todos os anos de 16 a 22 de setembro, é incentivar as autoridades locais europeias para apresentarem e promoverem medidas de transporte sustentável e convidar os cidadãos a experimentar alternativas ao uso do carro.

A Semana culmina no DESC, a 22 de setembro, contando com a participação de cidades europeias onde é reservada uma ou mais áreas públicas apenas para circulação de pedestrianistas, ciclistas ou transportes públicos. Desde o início, em 2002, tem-se verificado um constante crescimento na participação na SEM, tanto em toda a Europa como em todo o Mundo. Em 2010, foram 2 268 as cidades participantes por toda a Europa, representando cerca de 227 milhões de cidadãos envolvidos no evento.

Águeda tem participado em diversas edições da SEM e do DESC, tendo nesta última estreado a sua participação em 2006, este ano o tema é subordinado a “Avançando na Direção Certa”.  Assim, com um programa de atividades que se inicia com a participação da Autarquia de Águeda na 3.ª Conferência de Mobilidade Urbana, desenvolvida no MUDE – Museu de Design e Moda, em Lisboa, sob organização do Jornal de Planeamento. Descobre o programa completo das atividades para a edição 2012!

O programa completo das atividades para a edição 2012 apresenta-se aqui.

 

Rode para a sustentabilidade

 

As deslocações de curta distância realizadas com o constante recurso ao automóvel têm acarretado diversos impactes sobre os recursos, não só devido ao consumo excessivo de energia, à elevada ocupação do espaço público para estacionamento e circulação do transporte individual, como também devido às várias externalidades negativas, como sejam os impactes sofre o meio ambiente e os recursos naturais.

A par com estes último,s é ainda de salientar os impactes que o aumento de tráfego rodoviário, em particular dentro das áreas urbanas, infere sobre a saúde humana (com o aumento do ruído e a degradação da qualidade do ar), como também nas questões da sinistralidade rodoviária envolvendo peões.

É necessário devolver a cidade ao cidadão e pensar o espaço urbano em função do peão e da bicicleta, promovendo, assim, não apenas comportamentos mais saudáveis, como um maior usufruto e vivência dos espaços.

Assim, a elaboração de uma estratégia de mobilidade sustentável[1] enquadra-se neste desígnio, visto que pretende fomentar deslocações mais amigas do ambiente e do cidadão através da criação das condições para uma adequada integração da bicicleta elétrica no sistema de transportes do Município, o qual inclui as deslocações pedonais e noutros modos suaves.

Nesta perspetiva, o conceito multimodal de deslocações urbanas deverá otimizar não só a utilização da bicicleta elétrica mas também a sua articulação com os restantes modos de transporte, em linha com os princípios de operação de um sistema integrado e inclusivo (in LNEC, 2010).

Rode para a sustentabilidade foi o mote que a Câmara Municipal de Águeda, em parceria com a Miralago, usou para promover a utilização da bicicleta, em particular das novas bicicletas elétricas. Com o objetivo de aliar a inovação à tradição em prol da sustentabilidade, foram disponibilizadas no decurso de um dos maiores eventos da região que decorreu de 3 a 25 de julho – o Agitágueda –, a possibilidade de os seus cidadãos e visitantes experimentarem as novas Bicicletas Elétricas produzidas no Concelho.

Na génese desta iniciativa experimental e inovadora está o objetivo da Autarquia em implementar um projeto piloto que permita a utilização de bicicletas elétricas por todos os munícipes, possibilitando que as suas deslocações na cidade se realizem sem esforço nos arruamentos de maior declive e incentivando a prática de comportamentos mais saudáveis e ambientalmente sustentáveis.

Integrado na Agenda 21 Local de Águeda e no Pacto de Autarcas, este é um projeto que integra uma estratégia de sustentabilidade alargada que, para além de incluir o uso de sistemas que permitam diminuir o consumo de recursos e aumentar a eficácia da sua utilização, envolve a mudança de estilos de vida, conhecimento, avanço tecnológico e fortalecimento do tecido económico local, bem como a melhoria da qualidade ambiental de todos os cidadãos (local e globalmente).

A par com estes aspetos, a iniciativa está ainda enquadrada na intervenção que está a ser efetuada no centro da cidade e que assenta na filosofia que os espaços urbanos deverão ser pensados para inspirar e conectar as pessoas numa lógica de bem-estar social, ambiental e social e que compreende não apenas a criação de mais espaços verdes e de lazer, mas também uma menor utilização do automóvel e maior predominância do peão ou, neste caso, do ciclista.


[1] Mobilidade Sustentável: de uma forma simplista pode ser definida como aquela que, dando resposta às necessidades de deslocação das pessoas, se realiza através de modos de transporte sustentáveis. Sendo que se consideram como transportes sustentáveis aqueles que:

  • Permitem responder às necessidades básicas de acesso e desenvolvimento de indivíduos, empresas e sociedades, com segurança e de forma compatível com a saúde humana e o meio ambiente, fomentando ainda a igualdade dentro de cada geração e entre gerações sucessivas;
  • Resulta exequível, opera equitativamente e com eficácia, oferece uma escolha de modos de transporte e apoia uma economia competitiva, assim como um desenvolvimento regional equilibrado;
  • Limita as emissões e os resíduos ao nível da capacidade de absorção do planeta, usa energias renováveis ao ritmo da sua geração e utilização energias renováveis às taxas de desenvolvimento dos seus substitutos por energias renováveis, ao mesmo tempo que minimiza o impacte sobre o uso do solo e a poluição sonora. (adaptado de Manual de Boas Práticas para uma Mobilidade Sustentável, 2010).

Águeda, a cidade modelo de sustentabilidade

Águeda, a cidade modelo de sustentabilidade

Seminário de Iluminação Pública: o Futuro Hoje!

A cidade de Águeda foi recentemente indicada como um “caso de sucesso” em matéria de sustentabilidade pelo Pacto de Autarcas – uma comissão de autarquias europeias, com mais de 4200 cidades, das quais 74 são portuguesas

 

A cidade de Águeda foi recentemente apontada como um exemplo de “cidade inteligente” em matéria de sustentabilidade, face ao trabalho que tem desenvolvido para reduzir as emissões de dióxido de carbono e outros gases com efeito de estufa e promover a qualidade de vida e ambiental dos seus cidadãos.

Águeda foi um dos primeiros municípios portugueses a aderir ao Pacto de Autarcas em 2008, tendo-se comprometido a reduzir em cerca de 33 % as emissões de CO2 até 2020. Neste sentido, são várias as ações e iniciativas em desenvolvimento e que visam o cumprimento destas metas.

Recentemente o Pacto de Autarcas realizou um vídeo acerca das principais ações que estão a ser implementadas, e que se encontram no âmbito do Plano de Ação para a Energia Sustentável de Águeda, entre estas o beAgueda – bicicleta elétrica de Águeda, a iluminação pública a LED, o sistema de gestão da iluminação pública, as ações de educação para a sustentabilidade, as Eco-escolas. Estas e outras iniciativas evidenciam o “empenho e envolvimento ativo” da Autarquia, dos cidadãos e instituições Aguedenses em matéria de eficiência energética e utilização de fontes de energia renováveis, na luta contra as alterações climáticas, e em favor do desenvolvimento sustentável local e global.

Veja o Vídeo aqui

Saiba mais aqui

Faça a sua Auditoria energética