Município de Águeda comemora o Dia Mundial das Zonas Húmidas:: 2 de fevereiro

Sítio Ramsar e Áreas Rede Natura 2000 em destaque

O Município de Águeda promoveu a classificação da Lagoa da Pateira de Fermentelos e vale dos rios Águeda e Cértima como Zona Húmida de Importância Internacional, reconhecimento validado pela Convenção de Ramsar em 2012. Esta área é também classificada como Rede Natura 2000, estando integrada no Sítio de Interesse Comunitário (SIC) | Zona de Proteção especial (ZPE) da Ria de Aveiro.

No dia 2 de fevereiro, designado pela Nações Unidas como o Dia Internacional das Zonas Húmidas, procura-se alertar de uma forma mais sistemática, para a importância da preservação e valorização sustentada destas áreas, uma vez que as diversas zonas húmidas do planeta, contribuem para a qualidade de vida das populações! Não obstante, é nestas áreas que a pressão humana tem mais impacto, calculando-se que cerca de 65% destas zonas desapareceram desde o início do século XX e, com elas deteriorados os diversos serviços ecossistémicos prestados.

Os ecossistemas associados às zonas húmidas são berço de diversidade biológica, autênticas reservas genéticas, habitats privilegiados de fauna e flora, fornecendo água mais pura e assegurando a produtividade primária essencial à sobrevivência de variadíssimas espécies. Importantes reguladores da erosão, cheias e clima, é também a partir destas áreas que são cumpridas funções vitais do ciclo dos nutrientes, carbono e água, vitais à sobrevivência humana! Torna-se, assim, necessário que todos nos mobilizemos para a salvaguarda, preservação, recuperação e valorização deste património natural que contribui para “o nosso futuro: e modos de vida sustentáveis”.

 Saiba mais>>

cartaz

Concurso de fotografia: Dia Mundial das Zonas Húmidas

Visite, conheça, fotografe, participe!

Os vales dos rios Águeda e Cértima, bem como do Vouga e particularmente a área de influência da Pateira de Fermentelos, são zonas classificadas como Rede Natura 2000 localizadas no Município de Águeda, e que integram o Sistema Nacional de Áreas Classificadas.

Devido às suas singularidades ambientais e ecossistemas únicos, a Lagoa da Pateira de Fermentelos e Vale dos Rios Águeda e Cértima foi reconhecida como Zona Húmida de Importância Internacional, Sítio Ramsar, em 2012. Neste sentido, Águeda adere uma vez mais às comemorações que assinalam o Dia Mundial das Zonas Húmidas (2 de fevereiro).

Entre outras iniciativas o Município apoia e divulga o concurso internacional de fotografia, organizado e dinamizado pela Convenção de Ramsar. O desafio é colocado a todos os jovens entre 15 e 24 anos, propondo a deslocação até uma zona húmida para fotografarem as belezas ali existentes. As fotografias, em formato digital, deverão ser carregadas no portal http://www.worldwetlandsday.org/photo-contest. Este concurso estará patente desde 2 de fevereiro, devendo os trabalhos, num número máximo de três por pessoa, ser submetidos até final do dia 2 de março.

Também na mesma página poderá assumir um compromisso pessoal pela preservação e divulgação das zonas húmidas:

http://www.worldwetlandsday.org/es/make-a-pledge.

Visite a Pateira de Fermentelos e os vales dos rios Águeda e Cértima e surpreenda-se com a biodiversidade e a paisagem que encontrará, fotografe e divulgue!

ramsar_conc_fotos

Exposição “Visit Águeda Natureza” :: Posto de Turismo Águeda

O concelho de Águeda abrange um vasto e rico património natural e paisagístico, sendo que 11% do território está na REDE NATURA 2000 e inclui uma Zona Ramsar. Os recursos naturais endógenos, que se estendem desde nascente (na zona serrana) até poente (junto à lagoa da Pateira), permitem a ocorrência de uma elevada biodiversidade e de múltiplas paisagens que convidam à descoberta do território e à prática de atividades desportivas, com destaque para o pedestrianismo, a orientação e o BTT. As aldeias serranas típicas, a floresta, os trilhos, parques, rios e ribeiras encerram experiências inesquecíveis e a vontade de voltar.

O Município levará a efeito diversas iniciativas neste âmbito, nomeadamente, Workshop de birdwatching, Moinhos Abertos, Caminhadas e Desporto de Natureza.

Destaca-se a exposição destinada ao Turismo de Natureza patente no Posto de Turismo de Águeda até 30 de abril.

 

1

Município de Águeda finalista do Prémio de Boas Práticas de Participação

Decorreu no passado dia 21 de janeiro, em Lisboa, no âmbito da II Conferência Nacional Portugal Participa, a divulgação pública dos cinco projetos finalistas do Prémio de Boas Práticas de Participação, com o Município de Águeda a alcançar o 3.º lugar da pontuação do júri internacional.

A propósito deste anúncio o Presidente da Câmara Municipal de Águeda, Gil Nadais, referiu que “é muito bom ver o trabalho reconhecido logo numa primeira edição do Orçamento Participativo de Águeda. Ao mesmo tempo este resultado revela que o processo tem sido bem conduzido, o que aliás já tinha sido evidenciado pela forma entusiástica como os cidadãos participaram nas fases de apresentação de propostas e votação. Agora contamos com todos os munícipes para apoiarem e votarem no OP-Águeda!”

O prémio foi lançado no passado mês de outubro, destinando-se aos membros da Rede de Autarquias Participativas, enquanto incentivo à implementação, disseminação e valorização de práticas inovadoras de democracia participativa em Portugal.

As candidaturas foram analisadas por um júri independente constituído por quatro entidades: Associação In Loco, Centro de Estudos Sociais, Agência para a Modernização Administrativa e Observatório Internacional da Democracia Participativa (Delegação da América Latina, cuja representação foi assegurada pela Prefeitura de Porto Alegre).

Segue-se agora uma nova fase, a votação pública, que decorrerá entre 1 de fevereiro e 18 de março. A votação terá lugar através da plataforma de votação HYPERLINK “http://news.d21.me/en/inside-d21/our-mision/“Democracy 2.1. Cada uma destas etapas, votação do júri e votação pública, terá um peso de 50% na pontuação final.

Serão entregues dois prémios, cabendo ao primeiro classificado a nomeação de melhor prática de democracia participativa em Portugal e ao segundo classificado uma menção honrosa.

Os resultados finais serão divulgados na Conferência Internacional Portugal Participa que decorrerá nos dias 12 e 13 de abril, em Lisboa.

OP-logov2_1_725_999

 

Saiba mais aqui!

Até 14 de fevereiro :: Consulta Pública do Orçamento Participativo de Águeda

De 16 de janeiro a 14 de fevereiro, decorre a audiência de interessados, por consulta pública, da primeira revisão do Orçamento Participativo de Águeda (OP-Águeda).

A proposta de alteração ao documento surge após a conclusão do 1.º Ciclo do OP-Águeda, que corresponde à Definição Orçamental, onde foram identificadas ações de melhoria resultado da metodologia de ”ação-reflexão-ação” e da aplicação de Inquéritos por Questionário aos participantes, em todas as etapas do processo.

As alterações visão criar uma maior equidade entre participantes, freguesias e propostas a votação, bem como uma tentativa de simplificação dos instrumentos e metodologias de validação da elegibilidade dos participantes.

A Proposta de Revisão do Regulamento do OP-Águeda e o Aviso podem ser consultados aqui.

A constituição de interessados e os contributos devem ser endereçados ao Presidente da Câmara Municipal de Águeda, através:

– Correio Eletrónico: opagueda@cm-agueda.pt ;

– Plataforma de Discussão Pública: http://euparticipo.cm-agueda.pt/;

– Via CTT: dirigido para Câmara Municipal de Águeda, Praça do Município, 3754-500 Águeda;

– Entregue em mão: Gabinete de Atendimento ao Munícipe (GAM).

 

20160118175623431890_1__1_725_999

3.ª Edição do Prémio Águeda 21

Prémio Águeda 21: Destacar a excelência, premiar a sustentabilidade

Os Compromissos de Águeda pela Sustentabilidade foram propostos pelos cidadãos, instituições, escolas e diversas entidades, convidando os cidadãos e as organizações para a ação. Esta deve estar centrada no desenvolvimento de iniciativas e/ou projetos que contribuam para os 10 Compromissos de Águeda pela Sustentabilidade.

Procurando incentivar este processo, a Câmara Municipal de Águeda lança a nova edição do Prémio ÁGUEDA 21 que irá recompensar e reconhecer as iniciativas que mais contribuem para a melhoria da sustentabilidade em Águeda!

Saiba mais em breve!

Município de Águeda poupa 120 mil euros com novo contrato de energia elétrica

O Município de Águeda avançou em 2015 com um concurso público fora do âmbito da CIRA (Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro) para o fornecimento de energia elétrica ao Município. O novo contrato permite ao Município economizar mais 19 mil euros até ao final do primeiro de trimestre de 2016 e pode atingir uma poupança superior a 120 mil euros até 31 de dezembro de 2017.

Águeda tem implementado diversas ações e medidas de eficiência energética que têm contribuído para uma melhor gestão das infraestruturas públicas, traduzindo-se em poupanças nos consumos e custos energéticos e, reduzindo os custos com a fatura energética concelhia.

Neste âmbito, e considerando a estratégia de acompanhamento de consumos energéticos e das ofertas existentes no mercado, a Autarquia lançou sozinha, sem a parceria dos demais municípios da comunidade intermunicipal, um procedimento concursal para o fornecimento de energia elétrica, em mercado liberalizado, tendo celebrado contrato com a entidade vencedora em setembro de 2015. Este contrato é economicamente mais vantajoso que o celebrado pelos demais municípios da Região de Aveiro, evidenciado pelas poupanças alçadas versus as que se alcançariam se o Município tivesse integrado o concurso da comunidade intermunicipal.

Conforme esclarece Gil Nadais “à data o município de Águeda sugeriu à CIRA que o contrato a celebrar fosse anual, com possibilidade de renovação e que contemplasse a informação necessária para realizar o acompanhamento dos consumos energéticos das instalações municipais de forma mais eficiente, integrando a informação da faturação com a dos contadores inteligentes que o município tem em implementação”. Acrescenta ainda, “esta é a única forma de termos a informação que precisamos para eliminar os consumos desnecessários e comprar a energia elétrica ao melhor preço.”

Com base nos números de poupança apresentados, fica demonstrado que a decisão do executivo municipal de avançar com um processo de contratação pública – concurso público – para o fornecimento contínuo de energia elétrica fora do que estava em curso na CIRA, foi uma decisão que está a permitir a Águeda economizar recursos financeiros que de outra forma seriam despendidos sem qualquer beneficio para os Aguedenses.