Audiência de Interessados da Lista de Propostas Admitidas e Excluídas

OP-_gueda_1_725_999.png

 

A Comissão de Análise das Propostas formuladas no âmbito do Orçamento Participativo de Águeda (OP-Águeda) reuniu no passado dia 4 de agosto, com a finalidade de decidir a elegibilidade dos projetos apresentados.

Semanalmente, a equipa reuniu-se para proceder à análise das 35 propostas – 2 propostas mais pontuadas das 10 apresentadas por via eletrónica, bem como as 33 propostas saídas das sessões participativas que se realizaram entre os dias 9 de maio e 13 de junho, ao longo de onze sessões nas juntas/uniões de freguesia.

A Comissão Técnica concluiu que 15 dos projetos são considerados elegíveis, sendo 20 os não elegíveis. Durante o processo de auscultação dos proponentes houve uma proposta que foi retirada pelos autores: a Requalificação do Parque da Redonda.

O Edital com a lista provisória das propostas elegíveis e não elegíveis, bem como o fundamento de exclusão, está disponível para consulta na Plataforma Participativa do OP-Águeda (http://op.cm-agueda.pt/PageGen.aspx?WMCM_PaginaId=39581), de forma a que no prazo de 10 dias úteis, possam ser apresentadas eventuais reclamações pelos interessados. As reclamações serão analisadas e informadas pela Comissão de Análise das propostas, cabendo a decisão do recurso ao Executivo Municipal. Terminado este processo, é divulgada a lista final dos projetos que passam à fase de votação.

As propostas que reúnam as condições de elegibilidade são transformadas em projetos que, posteriormente, serão colocados a votação, categorizados por âmbito territorial (Freguesia e Município).

O calendário da fase de votação das propostas finalistas decorrerá após as eleições autárquicas de 1 de outubro próximo, com os projetos finalistas a serem expostos para conhecimento dos cidadãos nas Uniões/Juntas de Freguesia e na Câmara Municipal.

Os cidadãos dispõem de 2 votos, estando a Plataforma Participativa preparada para um sistema de votação através de tablets e APP, mantendo assim o papel fora da fase de votação.

Com o objetivo de aumentar o número de votos e de facilitar o processo de votação, cada cidadão pode usar os seus dois votos em qualquer um dos tipos de votação: na plataforma online em http://orcamentoparticipativo.cm-agueda.pt, ou nas sessões a decorrer nas juntas/uniões de freguesia.

Águeda integra Índice Global EFQM de Excelência

bronze-1_1_725_999

No âmbito do recente reconhecimento da Câmara Municipal de Águeda com o Certificado do 2.º nível de reconhecimento europeu da EFQM – “Recognised for Excellence” – 4 Estrelas, a autarquia foi convidada para fazer parte de uma nova iniciativa dirigida às empresas e instituições de todo o mundo reconhecidas pela EFQM nos últimos 3 anos (Recognised for Excellence e EFQM Excellence Award): o EFQM Global Excellence Índex [Índice Global EFQM de Excelência], com o nível Bronze.

A participação da Câmara Municipal de Águeda pode ser visitada na seguinte ligação:
http://www.globalexcellenceindex.org/organization/1274-camara-municipal-de-agueda

De acordo com Gil Nadais, Presidente da Câmara de Águeda, “trata-se de uma plataforma única para melhorar a visibilidade e a imagem da Câmara de Águeda, como motor de excelência, dentro e além do seu setor de atividade, mostrando o que conseguimos através das nossas Jornadas para a Excelência, incluindo as boas práticas a seguir e aquilo que temos orgulho de partilhar”.

O Índice posiciona a Câmara de Águeda como uma organização ativa ou mesmo líder para a Excelência no seu setor a um nível global.

Este Índice, parte da avaliação EFQM realizada, sendo o nível determinado através da pontuação RADAR: Platina (+ de 700 ptos); Ouro (+ de 600 ptos); Prata (+ de 500 ptos); Bronze (+ de 300 ptos).

O envolvimento da autarquia nesta iniciativa acarreta um conjunto de vantagens, tais como: divulgação a nível mundial das nossas melhores práticas; participação numa comunidade global EFQM; reconhecimento dentro do setor de atividade da administração pública local, que no caso de Águeda corresponde a Bronze.

Águeda entre as 12 Cidades selecionadas para desenvolver o Programa Laboratórios Vivos para a Descarbonização

laboratorios-v2_1_725_999

Águeda conseguiu a aprovação na fase do Concurso de Ideias para o Programa Laboratórios Vivos para a Descarbonização, passando agora à 2.ª fase que compreende a elaboração do Plano de Ação que será submetido, igualmente, à aprovação do Fundo Ambiental.

A esta fase do concurso foram submetidos 35 propostas, tendo passado apenas 12 para a segunda fase: Águeda, Alenquer, Almada, Barcelos, Braga, Évora, Figueira da Foz, Loulé, Mafra, Maia, Matosinhos e Seixal. As candidaturas foram avaliadas com base nos critérios da excelência, inovação e impacto.

Fomentar a descarbonização das cidades através de soluções tecnológicas, que aumentem a eficiência e reduzam o consumo de energia, e contribuir para criar cidades inovadoras, sustentáveis e inclusivas, que melhorem a qualidade de vida dos cidadãos, são os dois principais objetivos do programa Laboratórios Vivos para a Descarbonização.

Para Gil Nadais, Presidente da Câmara Municipal de Águeda, “a recetividade à nossa candidatura demonstra a excelência do trabalho realizado e das políticas para o ambiente e sustentabilidade”.

A primeira fase deste aviso do Fundo Ambiental tem uma dotação orçamental de um milhão de euros, a dividir pelas 12 candidaturas, que irão receber até ao máximo de 80 mil euros cada.

Conseguida a aprovação na segunda fase do concurso, prevista para 2018, o apoio do Fundo Ambiental será de 500.000 euros, verba que servirá para a implementação do Plano de Ação dos Laboratórios Vivos para a Descarbonização.

Águeda assina Carta de Compromisso com o CESOP – Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica Portuguesa

1

Decorreu, no passado dia 3 de agosto, a sessão de apresentação do projeto “Territórios Sustentáveis”, que contou com a assinatura da Carta de Compromisso e a Carta de Princípios entre o CESOP – Centro de Estudos e Sondagens de Opinião, da Universidade Católica Portuguesa e o Município de Águeda.

Após a assinatura da Carta de Compromisso e da Carta de Princípios, Gil Nadais, Presidente da Câmara Municipal de Águeda, declarou que “só comparando a nossa ação com a de outros é que podemos identificar o que podemos melhorar, até mesmo ter orgulho naquilo que fazemos muito bem, mas queremos sempre fazer melhor e há sempre algo que se pode melhorar e é essa cultura de melhoria contínua que nós queremos desenvolver e que penso que já está no cerne da organização”, destacando o Projeto de Eficiência Energética como Boa Prática de Sustentabilidade.

2

O projeto “Territórios Sustentáveis” aposta no desenvolvimento sustentável como modelo orientador para a condução das transformações económicas, culturais, políticas e ambientais resultantes dos processos de globalização, criando uma cultura de cidadania, participação ativa e responsabilidade partilhada.

A aposta no desenvolvimento sustentável como paradigma orientador para a condução das transformações económicas, culturais, políticas e ambientais decorrentes dos processos de globalização, a criação de uma cultura de cidadania, participação ativa e responsabilidade partilhada e a valorização dos recursos endógenos são algumas das linhas orientadoras constantes da Carta de Compromisso.

Este tem como objetivo final a criação de um observatório do conhecimento, envolvimento e participação das cidadãs e cidadãos na aplicação das medidas de Sustentabilidade (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 2030) nos diferentes territórios, pelos governos locais. Com a duração previsível de quatro anos, o projeto inclui a criação de índices de sustentabilidade, monitorização, aferição e aperfeiçoamento na sua concretização, sendo os resultados disponibilizados de forma sistemática e transparente em plataforma digital, permitindo comparar, de forma fiável, a satisfação e qualidade de vida entre territórios administrativos.

O CESOP – Centro de Estudos e Sondagens de Opinião – Universidade Católica Portuguesa, atribuirá anualmente o selo de Território Sustentável, após o preenchimento dos requisitos necessários por parte das autarquias aderentes, requisitos esses que são os presentes na Carta de Compromisso assinada.

 

3

Sessão de apresentação do projeto Territórios Sustentáveis

Irá decorrer, no próximo dia 3 de agosto, pelas 17h00, a sessão de apresentação do projeto Territórios Sustentáveis, contando com a assinatura da Carta de Compromisso entre o CESOP – Centro de Estudos e Sondagens de Opinião – Universidade Católica Portuguesa e o Município de Águeda, onde será ainda apresentado o Projeto de Eficiência Energética como Boa Prática de Sustentabilidade.

O projeto “Territórios Sustentáveis” aposta no desenvolvimento sustentável como modelo orientador para a condução das transformações económicas, culturais, políticas e ambientais resultantes dos processos de globalização, criando uma cultura de cidadania, participação ativa e responsabilidade partilhada.

Este tem como objetivo final criar um observatório do conhecimento, envolvimento e participação das pessoas nas medidas de sustentabilidade (ODS 2030) implementadas e comparar, de forma fiável, a satisfação e qualidade de vida entre territórios administrativos.

O CESOP – Centro de Estudos e Sondagens de Opinião – Universidade Católica Portuguesa, atribuirá anualmente o selo de Território Sustentável, após o preenchimento dos requisitos necessários por parte das autarquias aderentes, requisitos esses que são os presentes na Carta de Compromisso que será assinada.

Convite_Projeto_Territorios_Sustentaveis_1_725_999