Cogumelos chegam com as primeiras chuvas!

Atualmente não existem regras às quais se possam recorrer para se saber sem margem de dúvida se uma espécie de cogumelos é ou não tóxica. Muitas vezes a própria diferenciação só ocorre em laboratório!

Por isso, em caso de dúvida, não colha!

Com a chegada do outono e as primeiras chuvas, começam a aparecer os primeiros cogumelos espalhados “um pouco por toda a parte”. Os cogumelos são a frutificação de certos tipos de fungos (das divisões Basidiomycota e Ascomycota). Quando a temperatura ainda é amena e surgem as primeiras chuvas, ocorrem as condições básicas para que os fungos ocorram e se reproduzam. A sua distribuição e abundância dependente não só da época do ano, como também da humidade, do tipo e disponibilidade de matéria orgânica que compõe o substrato, a partir do qual as espécies se desenvolvem. Embora utilizados noutras temáticas é para a gastronomia que os cogumelos são mais procurados.

Algumas das espécies comestíveis como o boleto comestível (Boletus edulis), o cantarelo (Cantharelus cibarius), o tertulho/turtulho (Macrolepiota procera) ou a sancha / tancha (Lactarius deliciosus) ocorrem em épocas e habitats específicos:

Mesmo as espécies consideradas como comestíveis, é importante ter-se em atenção o local onde ocorrem, dado que os fungos têm a capacidade de acumular metais pesados e outras substâncias tóxicas.

Nem sempre é clara a distinção entre as espécies comestíveis e as tóxicas.

Em caso de dúvida na identificação dos cogumelos, não colher… e não comer! Esta é uma norma fundamental.

Algumas das espécies tóxicas: mata moscas (Amanita muscaria), limão (Amanita phalloides), entre outras.

 

 

Cogumelos com ou sem anel. Não há nenhuma característica única que sirva para separar cogumelos comestíveis dos não comestíveis, assim, não é verdade que só cogumelos com anel, ou vice-versa, são comestíveis.

Conheça algumas das Boas práticas de colheita de cogumelos silvestres aqui.

Outros links de interesse:

– Ecofungos: aqui

– Cogumelos e seus venenos: aqui

 

Anúncios

Cidades 8-80 – um conceito de sustentabilidade

“Criar comunidades saudáveis e vibrantes – O que é uma cidade 8-80?”

A Autarquia de Águeda promoveu a realização do Seminário “Criar comunidades saudáveis e vibrantes agora! – O que é uma cidade 8-80?”, conduzido pelo Diretor Executivo da Organização 8-80 Cities o especialista mundial Gil Peñalosa, que foi um dos principais oradores do Congresso Mundial do ICLEI, em Belo Horizonte. 8-80 trata-se de uma organização canadiana sem fins lucrativos dedicada a transformar as cidades em lugares para as pessoas onde estas podem passear, andar de bicicleta, usufruir de espaços públicos vibrantes, ruas e outros espaços. Cidades onde é bom estar e viver!

Durante cerca de 01h30, Gil Peñalosa cativou o público com o que de melhor (e pior) se faz no mundo, experiências de cidades grandes e pequenas, uma palestra com imagens enriquecedoras de todo o tipo de ações que transformam as cidades e a vida de todos quantos destas usufruem. No final, decorreu ainda um espaço de debate e ideias que culminou com num pequeno exercício coletivo e numa reflexão:

1.º-  pense num espaço público da cidade,

2.º – pense em alguém que goste que tenha 8 anos e alguém que goste que tenha 80,

3.º – junte quem pensou ao espaço da cidade e pergunte-se se é seguro para os dois.

Se a resposta for sim, é uma cidade 8-80!

 

Saiba mais sobre a Organização 8-80 Cities aqui

 

Reciclar+ Reabilitar+: Concurso Nacional de Ideias para a criação de Ecoponto acessível para todos

Foi lançado o Concurso Nacional de Ideias para a criação de Equipamentos de Recolha Seletiva de Resíduos (vulgo Ecoponto) acessíveis para todos (Projeto R+).

Este Concurso Nacional, destinado a arquitetos, designers, engenheiros, etc., é inovador a nível europeu atendendo ao produto a que se destina, e para além da procura de Ideias, procurar-se-á que tal dê origem a novos podutos, no caso ecopontos, dinamizando a indústria nacional.

A grande particularidade é que tais equipamentos terão de ser “amigos” de cidadãos portadores de deficiências (visual, motora, etc.), e ainda ficarem acessíveis no espaço público.

O Concurso Nacional de Ideias envolve diferentes parceiros, liderados pela LIPOR e a saber, Sociedade Ponto Verde, ACAPO, Instituto Nacional para a Reabilitação, Ordem dos Arquitetos, Provedor Metropolitano dos Cidadãos com Deficiência e Agência Portuguesa do Ambiente.

A Lipor, empenhada em otimizar o seu Sistema de Gestão de Resíduos, bem como em estar cada vez mais próxima dos cidadãos e em oferecer a todos os utentes as melhores condições para a participação no projeto da reciclagem multimaterial, decidiu estudar as condições associadas à deposição seletiva de resíduos por parte das pessoas com deficiência ou incapacidade, de forma a facilitar a sua participação na separação dos materiais.

OBJETIVOS DO PROJETO:

– Combater a exclusão social, permitindo que cidadãos com deficiências tenham as mesmas oportunidades de aderir à reciclagem multimaterial;

– Debater o tema das acessibilidades / disponibilidade de equipamentos de deposição seletiva de resíduos para pessoas com deficiência ou incapacidade;

– Associar dois temas: a separação de resíduos (e a reciclagem) e pessoas com deficiência ou incapacidade;

– Projetar o equipamento ideal para este público-alvo tão específico;

– Testar a produção do equipamento de acordo com as especificidades definidas;

– Realizar experiência (s) piloto (s) para testar o equipamento;

– Colocar o equipamento na via pública, em pontos-chave, a definir;

– Verificar a adesão da população alvo à iniciativa.

 

As candidaturas estarão abertas entre 14 de setembro e 12 de dezembro de 2012

Saiba mais aqui

 

HFA aposta nas energias renováveis e na redução das emissões de CO2 – um contributo para o 20:20:20 Europeu

A empresa Aguedense dá mais um passo em frente em termos energéticos com vista a conseguir um edifício neutro do ponto de vista energético

A empresa Aguedense HFA – Henrique, Fernando & Alves, S.A. começou na semana transata a produzir energia elétrica a partir do sol, esperando produzir por ano aproximadamente 68 MWh, o que representa cerca de 20 toneladas de emissões de CO2 (dióxido de carbono) evitadas. O investimento realizado visou a instalação de 52,9 KW de painéis fotovoltaicos policristalinos, que produzirão o equivalente a 20% das necessidades energéticas da HFA.

Segundo os responsáveis da empresa, este trata-se de mais um importante passo com vista a “tornar a empresa autossuficiente e conseguir um edifício neutro do ponto de vista energético”.

O envolvimento das empresas (e privados) na adoção de comportamentos mais eco eficientes e na implementação de medidas e ações de eficiência energética, utilização de fontes de energia renováveis, contribuem ativamente para a redução das emissões de gases com efeito de estufa (GEE) e do CO2 em particular. Tal constitui um importante contributo para o cumprimento das metas europeias nesta matéria e, em particular, para o compromisso do Município de Águeda de reduzir cerca de 33% das suas emissões até 2020, no âmbito do Águeda 21 e do Pacto de Autarcas.

 

Bandeira Verde da Sustentabilidade entregue a nove escolas de Águeda

No âmbito do programa Eco-escolas da Ass. Bandeira Azul da Europa (ABAE/Fee), apoiado pelo Município de Águeda, foram galardoadas 9 escolas deste concelho com a Bandeira Verde, como reconhecimento do trabalho para  sustentabilidade, desenvolvido junto das comunidades escolares

O Município de Águeda esteve presente em Gondomar no dia das Bandeiras Verdes, 10 de outubro, com uma das maiores delegações escolares: cerca de 97 representantes das eco-escolas do Concelho. A Fanfarra da EB1 da Mourisca do Vouga fez a abertura da cerimónia de entrega, perante uma plateia de cerca de 4000 participantes, onde as escolas de Águeda foram galardoadas: Agrupamento de Escolas de Aguada de Cima,  EB2,3 Fernando Caldeira, EB2,3 de Valongo do Vouga, EB1 de Águeda, EB1 de Arrancada do Vouga, EB1 de Mourisca do Vouga, EB1/JI de Espinhel, Escola Secundária Adolfo Portela e Instituto Duarte Lemos.

Jorge Almeida, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Águeda, que acompanhou a delegação Aguedense, considera que “o trabalho e dedicação destas escolas junto da comunidade, tem tido resultados práticos na construção de uma sociedade Aguedense com melhor qualidade ambiental e de vida”. Refere ainda que “a Câmara Municipal de Águeda irá continuar a apoiar o trabalho e os projetos de sustentabilidade destas escolas e das comunidades em que se inserem”.

Como reconhecimento do trabalho e iniciativas do Município de Águeda, a ABAE selecionou este concelho para acolher, durante os dias 25, 26 e 27 de janeiro de 2013, o Seminário Nacional das Eco-escolas.

 

Município de Águeda nos Open Days em Bruxelas

O Município de Águeda apresenta as ações para a energia sustentável implementadas no concelho na Semana das Regiões e Cidades Europeias, que decorre em Bruxelas

 Anualmente, a Comissão Europeia através do Comité das Regiões organiza os Open Days – uma semana dedicada a mostrar o que de melhor se faz nas Regiões e Cidades Europeias, e que este ano decorrerá de 8 a 11 de outubro. Este ano, o Município de Águeda foi convidado a apresentar uma comunicação acerca das ações e experiências em matéria de eficiência energética que tem desenvolvido no território e que estão previstas no âmbito do Plano de Ação para a Energia Sustentável (PAES) de Águeda.

O edil Aguedense, Dr. Gil Nadais, abordará ainda a importância dos apoios comunitários para a implementação e desenvolvimento das ações previstas ao nível das Autarquias, tema que será discutido entre os presentes e o demais painel de oradores, entre os quais o Presidente do Município de Birmingham (Reino Unido), o Presidente do Município de Dobrich (Bulgária), a Ministra Regional para o Ambiente, Energia e Renovação Urbana de Bruxelas (Bélgica) e o Presidente do Município de Veneza (Itália). Num painel moderado por Kristina Dely (Diretora do Gabinete do Pacto de Autarcas), será ainda abordada a importância dos mecanismos de financiamento e dos programas de apoio europeus para a implementação das ações previstas no âmbito dos PAES.

Esta Semana das Regiões e Cidades Europeias permite demonstrar a capacidade dos territórios em promoverem o seu crescimento, a inovação e a criação de emprego, a evidenciarem a implementação das políticas de coesão da EU, fomentando a realização de parcerias, troca de experiências e conhecimentos, bem como a dinamização de ações conjuntas.

Águeda aderiu ao Pacto de Autarcas em 2008, tendo sido recentemente apontado como a primeira “Cidade Inteligente” Portuguesa.

Seminário de Gestão de Energia Eléctrica na Indústria

A adesão ao  Pacto de Autarcas enquadra várias ações desenvolvidas pela Autarquia de Águeda em prol da sustentabilidade do município, nomeadamente na área da eficiência energética e de redução de emissões de CO2. Estas iniciativas priveligiam e potenciam as boas práticas sobre adaptação e mitigação das alterações climáticas, coordenando ações de sensibilização entre os cidadãos e as empresas, em que se apela a uma maior eficiência e poupança energética, contribuindo para a redução de emissões de CO2 e, como tal, redução da pegada energética do Município (conforme previsto no Plano de Ação para a Energia Sustentável de Águeda).

Desta feita, e procurando que as empresas/indústrias de Águeda desenvolvam as suas atividades da forma energeticamente mais sustentável, divulga-se o SEMINÁRIO DE GESTÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NA INDÚSTRIA, da organização da revista “Robótica” e a IXUS – Formação e Consultadoria, Lda., que irá decorrer no dia 24 de novembro de 2012, às 09h20, na EXPONOR. 

Para mais informações e inscrição, visite o website do evento aqui.

Com mais esta iniciativa, Águeda continua a dar passos na direção da melhoria da qualidade de vida dos seus cidadãos e da promoção do desenvolvimento sustentável da economia local, objetivos também de Águeda 21.

Note-se que todos estes temas, o combate às alterações climáticas e a redução das emissões de CO2 são temas analisados pela  Agenda 21 Local, fazendo parte dos Compromissos de Aalborg.